domingo, 18 de maio de 2008

Ir de patins e voltar de skate

Faz hoje 9 anos, que a minha primeira namorada a sério me pôs os patins…

Foi a segunda vez que ela fez isso, a primeira tinha sido quase um ano antes, depois de andarmos 13 meses e esta segunda vez, foi depois de andarmos cerca de 4 meses.

Pensei que o meu mundo ia acabar, tal como um normal adolescente, um coração partido não é uma coisa fácil de digerir, quando ainda por cima temos que aturar os pais a falar sobre estudar para entrar na faculdade, quando queremos tirar a carta de condução o mais depressão possível e ao mesmo tempo fazemos desporto federado e queremos ser campeões e as coisas nem sempre corriam da melhor maneira.

Na altura, uma amiga minha, que passados alguns meses passou a ser minha namorada, disse-me no meio de Santos, que se tinha tido duas oportunidades e a coisa não tinha resultado, então era porque não tinha que resultar e devia ficar contente por ter tido a segunda oportunidade para ter a certeza. Claro que isso para mim não fazia sentido nenhum…

Nem sei se agora me faz sentido, mas pronto. A única coisa boa foi perceber que eu e a minha ex tínhamos pouquíssimo em comum, dávamos uns beijos bons, éramos queridos um para o outro mas era só isso. Amigos em comum já quase não tínhamos, ela era de artes e eu de ciências, eu morava no esquerdo e ela no direito, ela queria casar e eu não, ela era católica e eu não, eu jogava um desporto com bola e ela fazia ginástica, eu tinha um citroen ZX e ela um citroen AX… Eram coisas a mais.

Agora se a encontro por acaso, damos dois beijinhos, “olá, estás boa? Beijinhos”…

E eu que pensava que ia ficar com ela para toda a vida, ela agora é casada e isso para mim é completamente indiferente.

As relações vêm e vão, temos que desfrutar delas enquanto existem e enquanto fazem sentido. Depois quando tudo acaba e não temos já outra paixão a bater à porta, os dias sozinhos custam a passar, mas vamos ter com os amigos, dizemos umas parvoeiras e pronto, as coisas passam, outras namoradas virão, outras paixões, umas mais fortes e outras mais fracas, mas tudo vem e passado algum tempo tudo vai. Temos que saber viver assim e com isso.

Eu defendo que cada um de nós não tem só uma pessoa especial, não existe “a” pessoa. Existem várias pessoas especiais ao longo da nossa vida e ao mesmo tempo que estamos com uma namorada de quem gostamos, conhecemos outras pessoas que também poderiam ser especiais mas como estamos bem acompanhados fazemos a opção de ficar com a actual porque na altura somos felizes ou escolhemos arriscar tudo…



Acho que me não me explico muito bem em relação a isto, mas o que sinto é que há várias pessoas especiais para cada um de nós, agora cabe-nos a nós encontra-las e não ficar metido em casa, mas atenção, porque andar à procura persistentemente também afugenta “a caça”, basta manterem os olhos abertos, e enquanto isso, aproveitem os amigos, o verão, os fins de semana, a cerveja, a praia e curtam muito!

2 comentários:

Anónimo disse...

De facto por não existir "aquela" pessoa que nos completa a 100%, é essencial ter amigos, amigos que nos preenchem as lacunas existentes, ler bons livros, ver boas fotografias, pequenas coisas que nos fazem sorrir, que nos fazem sentir!!!!
Eu tenho a sorte de ter um amigo (espero que já te possa considerar amigo) como tu,doido,com a mania de que é mau mas com um coração do tamanho do mundo. Nos dias mais tristes penso nas tuas piadas (machistas..é verdade) mas que acabam por me fazer rir. Espero poder "preencher" uma dessas tuas lacunas, mesmo que seja a ser CHATA.
Bjs rql

T disse...

E pronto, agora de repente foste espalhar ao mundo que eu penso q sou mauzao, que sou molinho pq tenho um coraçao grande e alem de tudo so machista (como se eu alguma vez tivesse posto alguma fotog a maltratar as mulheres.... =) ).

Oh "fofa", se nao fossem as minhas coleguinhas na Hidro, os dias passados teriam sido uma seca a aturar os velhos. Quase que gostei de todas as conversas de gajas que tive que ouvir à hora de almoço, todas as conversas sobre gravidez e sobre como foi com o meu mais velho.

Por isso tudo e por mais alguns almoços no chines, posso dar-te a feliz noticia que és minha amiga, embora so me keiras ver solteiro e digas que todas as mulheres nao sao boas para mim. :)

Volto dia 28 (quantas vezes ja terei escrito isto?), por isso daí para a frente, ate dia 23 de junho, tou livre para almoços e para vos ouvir a keixarem-se de chefes, ordenados, dietas, maridos, filhos, novas instalaçoes, franceses, etc.

Beijinhos